terça-feira, 17 de novembro de 2009

Diversidade.

Em recentes tempos de festividades de Miss Brasil Gay e Parada Gay, resolvi comentar uma declaração nem tão recente do cantor de folk Rufus Wainwright.



Rufus, que é gay, falou que os heteros estavam se vestindo melhor do que os homossexuais, porque os últimos estavam muito caricatas. Então, o cantor estava tentando parecer no mínimo "bi", para ficar num meio termo da estética.

Achei a declaração muito curiosa e fiquei pensando se eu tinha uma opinião sobre. Já ouvi muito o contrário, na verdade. De que se o cara é estiloso é porque é gay, porque, let's face it gostar de moda ainda é tabu para caras. Mentalidade tão somente caduca e obsoleta, que não vou comentar muito para não alimentar "o monstro". Fiquei pensando se eu fazia uma enquete, se eu postava heteros e gays estilosos, mas como eu não ponho minha mão no fogo à revelia, resolvi só fazer um mini-pocket-estudo-de-caso.

Acho que o Rufus quis causar um pouco. Deu uma alfinetada nos excessos da classe, que, sim, às vezes recai numa estética Kitsch , que é "ame" ou "odeie", vide os trajes exibidos no Miss Brasil Gay, com vibe de fantasia e tudo mais.


Eu acho que essas divisões só atrapalham a inclusão gay, que só vai ser total quando pararmos de ficar teorizando muito sobre a coisa, acredito eu. Por isso, eu paro agora! E lanço a bola para vocês. Quicês pensam sobre isso, galëre?

beijoseliganadiversidade!

PS.: O editorial Trois Couleurs sai já, já... Acabei de reaver meu memory stick e estou selecionando que fotos serão publicadas (gatekeeper mode on).

3 comentários:

  1. Eu acho que cada caso é um caso! kkkkkk
    Talita tá linda!

    ResponderExcluir
  2. O que é isso?
    Zuar a coleguinha não pode ok?
    Rodrigo, te mato!

    ResponderExcluir